Saúde bucal infantil

Saúde Bucal do Bebê 

Muitas são as dúvidas que permeiam a saúde bucal do bebê. Para isto existe uma área específica da Odontologia que visa acompanhar e orientar os pais em cada fase do desenvolvimento das crianças: a Odontopediatria. Por isso, o ideal é sempre buscar ajuda com profissional especializado. Nossa ideia nessas consultas é além de realizar um bom exame dos dentes de seu filho, entender a rotina de cada família, conhecer o tipo de exposição que cada paciente tem aos fatores associados à cárie para poder passar uma orientação de cuidados de saúde oral específicos para cada criança. Dessa maneira, as informações que você encontrará nesse artigo, são baseadas em evidência cientifica e são direcionadas à população como um todo, o que pode não ser o mais adequado para o seu filho.

1- Quando devo começar a higiene bucal do meu bebê?

A necessidade de limpeza da cavidade bucal se dá com a presença do primeiro dente. Antes disso, é legal massagear as gengivas do seu bebê eventualmente. Essa massagem pode ser realizada com os dedos da mãe (claro que bem limpinhos), bem como, com artigos específicos para isso (como dedeiras ou luvinhas de higiene). O objetivo principal dessa massagem é acostumar o bebê a receber essa manipulação e familiarizar a mãe à boquinha do seu filho. Assim, ela facilmente perceberá quando os dentes começarem a romper as gengivas. É importante salientar que essa manipulação deve ser uma troca de carinho, entre mãe e o bebê. Se seu filho achar muito chato, respeite o tempo dele e não insista. Pode ficar tranquila, pois enquanto não há dentes na boca, não existe uma urgência em manter a boquinha limpa.

2- E agora que os dentes nasceram!?!?! Qual a melhor maneira para realizar a higiene bucal?

Esse é o momento ideal para marcar a primeira consulta com odontopediatra.

Sempre que há dentes em boca o melhor recurso para uma boa higiene é a ESCOVA DE DENTES. Procure comprar uma adequada à idade do bebê, com cabeça pequena e cerdas bem macias. Muitas crianças mordem as escovas durante a higiene e isso pode fazer com que as cerdas logo fiquem “descabeladas”. Para uma boa escovação é essencial que as cerdas estejam com aspecto de novas, ou seja, bem macias. Por isso, se seu filho costuma morder a escova, uma dica boa é utilizarem duas escovinhas durante a higiene: uma para ele brincar e morder e outra para você escovar. Essa escovação é bem simples, podendo ser feita com o movimento de vai-e-vem aproximadamente três vezes em cada “grupo de dentes”: dentes da frente; dentes do fundo de um lado; dentes do fundo do outro lado em ambas arcadas. Esse processo pode ser feito no quarto, no banheiro, no trocador, durante o banho ou quando e onde você achar melhor. O mais importante é que seja em um momento em que a criança esteja mais disposta e possa curtir essa higiene como uma forma de carinho e troca com a mamãe.

3- Qual o creme dental devo usar?

Existe evidência científica farta que comprova que apenas pasta com pelo menos 1100ppm Flúor é capaz de combater à cárie. Esta é a concentração padrão, que encontramos em pastas para adultos e também em algumas pastas infantis como Tandy, Colgate da Barbie e do Homem Aranha entre outras… Porém, quando as crianças pequenas engolem uma quantidade excessiva dessas pastas, a concentração de flúor no sangue fica alta demais e pode influenciar a formação dos dentes PERMANENTES que podem nascer com manchas brancas, conhecidas como FLUOROSE. Assim, o que os trabalhos nos mostram é que a partir do nascimento do 1 dente já devemos usar creme dental com 1100ppm, uma vez ao dia, em uma quantidade mínima (grão de gergelim). Essa quantidade não parece ter relação com fluorose.

Existem ainda, pastas com concentração baixa de flúor (450ppm -650ppm), Colgate do Barney, Oral B do Pooh, etc… No meu entendimento, não temos indicação para usar essas pastas, já que as pesquisas mostram que elas nao são capazes de combater à cárie como as de 1100 e também não causam menos fluorose.

Por fim, existem as pastas sem flúor. De maneira geral, a principal indicação deste tipo de pasta, no meu ponto de vista, são para as escovações realizadas nas escolinhas. Isto porque, não temos como controlar se as professoras e cuidadoras estão utilizando a quantidade certa e desta forma protegemos nossos filhos de desenvolverem fluorose. Eu entendo que o papel das pré-escolas na higiene bucal das crianças é muito mais lúdico e de aquisição de hábitos saudáveis do que de prevenç​ão propriamente dita. Assim, a ecovação bem feita, que removerá o biofilme bacteriano e usará flúor é de responsabilidade dos pais; enquanto que na escolinha, pode ser algo mais leve, mais divertido e com pasta sem flúor pois se o bebê engolir demais não trará prejuizos à sua saúde.

 

Espero ter ajudado você a cuidar da boquinha do seu bebê!

 

 

Dra. Patrícia Blaya Luz –

Especialista em Odontopediatria pela UFRGS

Mestre em Saúde Bucal Coletiva pela UFRGS

Doutora em Odontologia com Enfase em Odontopediatria pela UFRGS

TELEFONE: 3273.7004

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s